terça-feira, novembro 22

A polémica está relançada

Recupero o anterior comentário do Paulo Pena à Micro-causa por ser pertinente
«Acho muito bem que o RCP exija transparência nas nomeações/destituições no aparelho de Estado. Não me posso associar a esta causa quando uma boa percentagem dos que clamam por essa transparência são anónimos com agendas turvas (Grande Loja do Queijo Limiano)ou partidários de regimes totalitários e fascistas (Salazarista e Último Reduto). Lamento.»
Em devido tempo já fiz referência a estas questões.
Sobre o anonimato na blogosfera, escrevi o seguinte Aqui.
Em relação à adesão do Salazarista escrevi, no Directamente:
RCP: Para Salazarista ... O seu blog não é menos dos que os outros. É muito menos. Mesmo assim aqui a opinião é livre. Até a minha, como pode constatar.
Quando decidi lançar a micro-causa não entendi necessário estabelecer um filtro a quem podia ou não podia aderir. Isso seria desvirtuar a tentativa de mobilização da blogosfera.
Apesar de compreender as reservas do Paulo Pena, pois existem contradições insanáveis entre quem defende a democracia e a liberdade de expressão e quem tem um discurso fascista, no Bate mais Forte prevaleceu o respeito pela diferença e pela opinião livre.
Não é por acaso que, na opinião pública,que faço diariamente, tenho feito citações de comentários que estão nos antípodas da minha opinião.
Só assim é possível estabelecer um debate e avaliar o que cada um pensa sobre os mais diversos temas.
Em síntese, a blogosfera só tem sentido se a liberdade, o contraditório e a responsabilidade forem predominantes.

6 comentários:

Golfinho disse...

Quanto à questão do anonimato e, foi por isso que lhe pedi o mail no outro dia, para adicionar o meu blog, existem dois posts no meu blog que provam que escrever sob um "alias", heterónimo, nick or whatever tem o mesmo valor jurídico que escrever com o nosso nome próprio: http://golfinhu2.weblog.com.pt/arquivo/2005/05/direito_de_resp.html

e

http://golfinhu2.weblog.com.pt/arquivo/2005/05/e_o_erro_sobre.html

Agora, nesses textos de natureza puramente jurídica, está também colocada a questão para blogues de extrema-direita. Nunca considerei o blog do Pedro Guedes um blog de extrema direita, muito pelo contrário, um blog muito muito democrático, onde se pode discutir livremente. Sempre fui muito bem aceite lá, ao contrário de outros blogues ditos de esquerda. É um blog humanista, cristão, nacionalista, de direita assumido, mas aceita o jogo democrático. Tenho entrado com o Pedro em alguns debates em vários blogues, o Pedro sempre assumiu uma posição democrática, anti-totalitária. Vou mais longe, na questão daquele blog que agregava todos os blogues pelo não, eu escrevi que deixava de aderir. E ele
escreveu-me a perguntar-me porquê. Porque estava lá um blog que tinha na sua página excertos do mein kampf. Compreendeu perfeitamente. Coincidência ou não, esse blog deixou de estar lá.

Já me arrepia um pouco mais esse salazarista, pelas ligações, pelos banners que tem ao lado, caro Rui.

Aconselho vivamente que leia esses meus textos. Ao lisonjear assim tanto um blog e a linká-lo pode estar a cometer um erro, mesmo que por nigligência.

Aliás, desde que o vi aí nessa lista, que não quis participar mais nessa iniciativa.

Um abraço.

exilado disse...

Caríssimo Rui Costa Pinto, vamos por partes:

1. cheguei aqui à blogosfera quase que
"empurrado" por esse gajo chamado Golfinho, que tive o prazer de ter como colega na Faculdade de Direito de Lisboa, mas sempre assisti ao seu percurso por aqui na blogosfera;

2. Quanto ao anonimato baseei-me precisamente nesses dois textos: http://ceusdeabril.blogspot.com/2005/09/posta-necessria-ou-como-este-blogue.html
para além do facto que o João é reconhecido por aqui, logo tenho dois argumentos de peso, um jurídico e um outro pessoal que ilidem de forma peremptória qualquer presunção

3. Quanto ao Ùltimo Reduto, não me causa urticária nenhuma ver o nosso blog linkado ao lado dele; pelo que sei o Pedro Guedes até é um dos maiores defensores das liberdades da blogosfera portuguesa, tendo já sido várias chamado e, injustamente, de fascista, quando na realidade o que é, é um católico e monárquico.
Eu sou agnóstico e republicano. Mas pelo que tenho lido, o Pedro é um democrata. Como chegamos lá? Através do artº 288º da C.R.P. Se a forma republicana de regime saír dos limites materiais da Revisão Constitucional por vontade democrática dos portugueses, que podemos fazer? Desde que continuemos a viver numa Monarquia constitucional democrática à semelhança das que existem no resto da Europa, não vejo qual é o problema. Espanha está a dar excelentes passos, nomeadamente em questões sociais e familiares como o casamento entre homossexuais.

4. Já me repugna ver o nosso blog ao lado desse salazarista, porque se enquadra no artº 46/4 da CRP: Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista.
E há banners que estão lá que apelam à violência, têm armas, há textos inflamatórios, de cariz fascista, xenófabo, racista.

Não se esqueça que o legislador constituinte instituiu essa norma para que o passado não se voltasse a repetir.

Por favor, reconsidere quaanto a esse blog, tendo em conto os argumentos apresentados. Há causas que não devem ser abaladas ou disvirtuadas devido a uma situação pontual e, como o Golfinho referiu, nos blogues pelo não, houve blogues que pelos mesmos motivos foram retirados.

Um abraço.

Anónimo disse...

Não cotesto que o autor do Último Reduto seja uma boa pessoa, honesto, tolerante, o que quiserem. O blogue Último Reduto, para não ir além dos últimos posts, faz a apologia de José António Primo de Rivera, fundador da Falange espanhola e mentor da ditadura franquista, além de elogiar a acção da Frente Nacional na recente onda de distúrbios. Isto, para mim, é incompatível com ser-se um «democarata».

Golfinho disse...

Já agora porque não assina?
Quando me refiro ao facto dele ser um democrata, faço-o porque o vi em vários debates a ser contra o totalirarismo soviético, contra a mordaça que um senhor de um blogue nos queria impôr, e por várias discussões que tivemos no troll urbano com o sr. daniel arruda onde ele foi extremamente educado com um membro do bloco de esquerda, onde aceitou tudo isso que escrevi, nomeadamente a regra fundamental básica da democracia, o voto.

O facto do Pedro ter feito essas declarações prendem-se com o facto, presumo (presunção ilidível, não falo em nome dele), por ter sofrido na pele a descolonização e o que foi retirar abrupto das terras e propriedades a certas pessoas no pós-25 de abril, tendo indo viver para Espanha. Por outro lado, que eu saiba, prende-se também, pelo facto de ele ter sido candidato INDEPENDENTE do PNR às eleições europeias. O PNR por acaso foi considerado inconstitucional ao abrigo desse artº 46º da Constituição? Já a Frente Nacional, não aconteceu o mesmo, já vários partidos e associações pediram ao Tribunal Constitucional a sua ilegalização com base nesse artigo.
Não atire areia para os olhos.
Repare bem na diferença do último reduto e desse salazarista, repare nos banners.

Fazendo minhas as palavras do Exilado, há uma coisa no entanto que não concordo, se o artº 288º fosse modificado nessa alínea, como ele deve saber, passaríamos a ter uma constituição diferente, assim nos ensinou Jorge Miranda.

Manuel disse...

'anónimos com agendas turvas'

Ai, Ai...

pedro guedes disse...

Caro anónimo,

"faz a apologia de Jose Antonio Primo de Rivera, fundador da Falange espanhola e mentor da ditadura franquista"

Confesso que uma das coisas que me irrita é a ignorância. Para a ultra-ignorância já não tenho pachorra - e foi exactamente o seu caso com a frase acima. Tamanha falta à verdade, nem o Santiago Carrillo...

"além de elogiar a acção da Frente Nacional na recente onda de distúrbios"

Credo! Esse gajo do último reduto não disse que o Le Pen é um sacripanta que anda a incentivar os "jovens" a queimarem os carros! Fogueira nele(s)...!