quarta-feira, novembro 23

Uma Igreja fora do tempo

Bento XVI decidiu aprovar um documento que exclui dos seminários e do sacerdócio quem praticar a homossexualidade ou apresentar tendências homossexuais.
É uma decisão polémica que se segue a uma outra, de João Paulo II, de manter a proibição dos métodos contraceptivos, apesar da disseminação da SIDA, o que revela uma hierarquia cada vez mais conservadora e distante. O que mais impressiona é que depois de tentar esconder a homossexualidade, durante séculos, se passe agora a tentar proibi-la, de um momento para o outro.

4 comentários:

antígona disse...

Pelos vistos também tu preferes os padres pedófilos.
Questão de gosto e de preferências.
Vais no bom caminho.
Tu é que andas à la page

S&P disse...

Relativamente à notícia não posso estar mais de acordo com o que o Rui diz. Já qt ao comentário do Antígona não posso concordar, que grande confusão que vai nessa cabeça, Pedófilia é diferente de Homossexualidade, não posso concordar, e não é uma quetão nem de gosto, nem de preferência!

Anónimo disse...

santa ignorância, meu Deus

exilado disse...

Falácia atrás de falácia. Com aquela aberração de hoje abre-se a porta inclusive para que pessoas como eu, baptizadas e heterossexuais, que pelo simples facto de defenderem em público, homossexuais, ser excomunhados da ICAR. E o mesmo pode acontecer a qualquer sacerdote da ICAR. Já leram com atenção o texto?